Pesquisa personalizada

O objetivo principal deste blog é chamar a sua atenção para as palavras ditas por Jesus em Mateus capítulos 24 e 25, quando respondeu à pergunta feita por seus discípulos: "... Dize-nos, quando serão estas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? (Cf. Mateus 24:3b)


Pesquisa personalizada

Pesquisa personalizada

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

FURACÃO DEAN

As autoridades mexicanas declararam hoje (20/08/2007) 'alerta vermelho' (risco máximo) no estado de Quintana Roo, no Caribe mexicano, diante da iminente chegada do furacão 'Dean', na madrugada de terça-feira. O 'Dean' está 560 quilômetros a leste-sudeste de Cozumel, e 590 ao sudeste de Cancún, segundo o Sistema Nacional de Defesa Civil (Sinaproc).

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

TERREMOTOS, FURACÕES E CATÁSTROFES

Merkel visita Groenlândia para ver efeitos do aquecimento globalAFP Qui, 16 Ago, 08h53
Peru busca sobreviventes e enfreta a carência de serviços básicosAgência EFE Qui, 16 Ago, 08h37
Peru registra mais de 300 tremores menoresAFP Qui, 16 Ago, 08h19
Sismo de 4,7 graus afeta três regiões do ChileAgência EFE Qui, 16 Ago, 07h46
Serviço Geológico dos EUA eleva magnitude do terremoto peruanoAgência EFE Qui, 16 Ago, 07h31
Terremoto de 3,5 graus sacode Los AngelesAFP Qui, 16 Ago, 06h44
Caos total no litoral sul do Peru, devastado por terremotoAFP Qui, 16 Ago, 06h03
Sismo de 4,3 graus abala região sul da Costa Rica, sem deixar vítimasAgência EFE Qui, 16 Ago, 06h00
Desolação na cidade peruana de Pisco após terremotoAFP Qui, 16 Ago, 04h28
Terremoto no Peru chegou a 8 graus de intensidadeAFP Qui, 16 Ago, 04h27
Novo balanço dos bombeiros registra 500 mortos em terremoto no PeruAFP Qui, 16 Ago, 04h26
Tempestade "Erin" ameaça EUA com chuvas e "Dean" se transforma em furacãoAgência EFE Qui, 16 Ago, 02h21
Dean chega ao Caribe e se transforma no primeiro furacão da temporadaAFP Qui, 16 Ago, 12h55
Temperaturas e condições climáticas nas principais cidades do mundoAgência EFE Qui, 16 Ago, 12h40
Tempestade "Erin" chega aos EUA e "Dean" se transforma em furacãoAgência EFE Qui, 16 Ago, 11h45
Piores terremotos desde o começo do século XXAFP Qui, 16 Ago, 10h53
Tremor de 6,7 graus sacode as Ilhas SalomãoAFP Qui, 16 Ago, 10h11
Onda de calor causa 13 mortes no JapãoAFP Qui, 16 Ago, 09h34
Tufão "Sepat" ganha força em sua trajetória ao norte das FilipinasAgência EFE Qui, 16 Ago, 09h29
Mais de 200 mortos em inundações na Coréia do NorteAFP Qui, 16 Ago, 08h48
Terremoto de 6,7 graus atinge as Ilhas SalomãoAgência EFE Qui, 16 Ago, 06h48
Japão bate recorde de temperatura máxima, com 40,9 graus em GifuAgência EFE Qui, 16 Ago, 04h53
Temperaturas e condições climáticas na EuropaAgência EFE Qui, 16 Ago, 04h26
Tempestade tropical se aproxima e Texas declara emergênciaAgência EFE Qui, 16 Ago, 02h32
Tremor de 5,3 graus na escala Richter atinge Ilhas MarianasAgência EFE Sex, 17 Ago, 12h04
Terremoto no Peru causa pequenas ondas no JapãoAFP Qui, 16 Ago, 10h10
"Dean" se transforma em furacão categoria 2 a caminho das Antilhas MenoresAgência EFE Qui, 16 Ago, 09h34
Furacão Dean ganha força e ameaça CaribeAFP Qui, 16 Ago, 09h27

TERREMOTO NA CALIFÓRNIA

LOS ANGELES (AFP) - Um terremoto de 3,5 graus de magnitude na escala de Momento foi sentido nesta quinta-feira na região de Los Angeles na Califórnia, no mesmo lugar onde há uma semana um tremor de 4,5 graus semeou o pânico na população, afirmou o US Geological Survey (USGS).
O epicentro do tremor desta quinta-feira se localizou a 7km ao norte da cidade de Chatsworth, um subúrbio a noroeste de Los Angeles. Registrado às 12H23 locais (19H23 GMT), o terremoto não provocou danos em Los Angeles, segunda maior cidade dos EUA.
Chatsworth é vizinha a Northridge, epicentro do terremoto de 6,7 graus que deixou 60 mortos em 1994, além dos 10 bilhões de dólares em danos materiais.
Para medir o poder do terremoto, a USGS utiliza a "magnitude de momento" em vez da escala Richter. Trata-se de uma medição diretamente relacionada aos parâmetros do terremoto (superfície e quantidade de deslizamento da falha).
A Califórnia fica numa das falhas mais ativas do mundo. O estado vive sob o temor do "Big One", um eventual terremoto devastador produzido pela falha de San Andrés, com 70% de probabilidade de acontecer nos próximos 30 anos, segundo cientistas.

OUTRO TERREMOTO NO PERU

PISCO, Peru (Reuters) - Equipes de resgate do Peru tentavam na sexta-feira encontrar sobreviventes na área atingida por um violento terremoto que matou 500 pessoas há dois dias. Também na sexta, um outro tremor de magnitude 6,0 atingiu a mesma região, disseram testemunhas e o Geological Survey, um órgão dos Estados Unidos.
O terremoto principal, de magnitude 8,0, ocorreu na quarta-feira e muitas de suas vítimas eram pessoas pobres, mortas quando suas casas frágeis, feitas de tijolos de barro, ruíram. Hospitais e necrotérios encontravam-se sobrecarregados, obrigando os moradores a colocar vários corpos nas ruas das cidades.
Por enquanto, não há relatos sobre vítimas ou danos deixados pelo tremor de sexta-feira, cujo epicentro foi a 145 quilômetros ao sul de Lima.
O novo abalo sísmico provocou pânico entre os peruanos das cidades mais atingidas na quarta-feira, localizadas também ao sul da capital, onde voluntários tentavam ajudar as equipes de resgate a encontrar sobreviventes e tratar dos feridos.
Foi confirmada a morte de cerca de 510 pessoas desde o grande terremoto, afirmou a Organização das Nações Unidas (ONU) na sexta-feira, atribuindo a informação a autoridades federais e regionais. Além dos mortos, há por volta de mil feridos.
Milhares de pessoas perderam suas casas e precisam agora dormir ao relento. As vítimas reclamam da falta de atendimento médico e de suprimentos de emergência.
Os danos maiores produziram-se nas cidades de Canete, Chincha e Pisco.
Nesta última, o resgate de um homem preso nos destroços de uma igreja alimentou a esperança das equipes de resgate.
"Trata-se de um milagre quase. Esperamos encontrar outros sobreviventes", disse Carlos Cordova Gomez, chefe dos bombeiros voluntários do Peru.
"Por enquanto, continuaremos procurando corpos. Essa é nossa prioridade agora", afirmou Felipe Aguilar, diretor do setor de resgate do Exército em Pisco. "Para nós, essa é a prioridade porque já tiramos uma pessoa com vida dos destroços."
O presidente peruano, Alan Garcia, visitou as áreas atingidas na quinta-feira.
O terremoto de quarta-feira foi um dos piores desastres naturais a atingir o país nos últimos 100 anos. Em 1970, um terremoto matou cerca de 50 mil peruanos.
No centro de Lima, uma bandeira peruana tremulava a meio mastro. Garcia declarou três dias de luto oficial no país.
(Reportagem de Pav Jordan e Maria Luisa Palomino)

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

TERREMOTO NO PERU

Dezenas de corpos espalhados pelas ruas, casas destruídas, hospitais lotados: um caos total reinava nesta quinta-feira em Pisco, na costa sul do Peru, uma das mais atingidas pelo terremoto que matou mais de 500 pessoas e deixou milhares de feridos.

Em meio à agitação, apesar das estradas superlotadas, as equipes de socorro conseguiram chegar ao local para tentar encontrar mais corpos sob os escombros desta cidades de 130.000 habitantes, a 240 km de Lima.

Com Pisco, duas outras cidades vizinhas, Inca e Chincha, concentram a maioria das vítimas.

Como símbolo da desolação aparecem as ruínas da igreja de São Clemente em Pisco, quase totalmente destruída. A cúpula desmoronou sobre os fiéis em plena missa no momento do terremoto, pouco antes das sete horas da noite de quarta-feira.

Dezenas de corpos foram estendidos nas calçadas, com apenas uma coberta.

O prefeito de Pisco, Juan Mendoza, fez nesta quinta-feira um pedido de socorro ao governo. "Temos centenas de mortos estendidos nas ruas, feridos nos hospitais. É indescritível", disse, estimando em 70% a destruição da cidade.

"Nós não temos água, nem comunicação, as casas e as igrejas foram destruídas", disse o eleito em lágrimas.

Em Ica, com 320.000 habitantes, o prefeito Mariano Nacimiento, avaliou o número de mortos em 70 e o de feridos em 800.

"Nós precisamos de medicamentos, barracas de campanha e de qualquer ajuda que possam nos trazer. Nós estamos trabalhando, visitando bairros onde houve um maior número de vítimas, é para isso que a ajuda do governo é importante", afirmou.

O diretor do hospital regional, Maximo Ecos Lima, pediu o envio em estado de urgência de suprimentos e de reforço médico.

A autoridades sanitárias regionais também pediram helicópteros para transferir para Lima pelo menos 40 feridos graves, que necessitam de cuidados especiais.

O ministro peruano da Saúde, Carlos Vallejos, que percorreu nesta quinta a zona afetada, falou sobre a "dificuldade" do plano de socorro colocado em ação após o terremoto de 7,7 graus (ou 8, segundo o Instituto de Geofísica americano, USGS).

Os serviços de Defesa civil confirmaram nesta quinta-feira ter enviado duas toneladas de ajuda humanitária, notamente de barracas, cobertores e medicamentos.

A inquietude dominou igualmente a estação balneária de Paracas, um dos lugares turísticos mais visitados do país, situado à 10 km de Pisco.

As marés, provocadas pelo terremoto ao longo da baía de Paracas inundaram parcialmente a região provocando perdas materiais, segundo pescadores entrevistados nas rádios locais .

"Foi um pequena tsunami", indicou o diretor do Instituto Geofísico do Peru, Ronald Woodman, à rádio local RPP.

As ondas penetraram mais de cem metros no interior da cidade de Cerro Azul, atingindo a praça central

Nesta região, reconhecida pelas suas reservas de pássaros, os habitantes dos portos de San Andres e Cerro Azul passaram a noite de quarta-feira na rua, por medo de um tsunami, uma ameaça finalmente descartada pelas autoridades.
Pesquisa personalizada