Pesquisa personalizada

O objetivo principal deste blog é chamar a sua atenção para as palavras ditas por Jesus em Mateus capítulos 24 e 25, quando respondeu à pergunta feita por seus discípulos: "... Dize-nos, quando serão estas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? (Cf. Mateus 24:3b)


Pesquisa personalizada

Pesquisa personalizada

domingo, 25 de abril de 2010

Fungo mortal se espalha por região dos EUA e Canadá

Espécie causou mortalidade de 25% das pessoas infectadas

Foto por Divulgação: Imagem mostra a região formadora de esporos do fungo

Um fungo que pode causar a morte está se espalhando entre animais de pessoas no noroeste dos Estados Unidos e no Canadá. Em geral, o fungo, chamado Cryptococcus gattii, é perigoso apenas para pessoas que têm o sistema imunológico debilitado, como pacientes com Aids, mas uma nova "versão" da espécie é geneticamente diferente e mais perigosa.

O índice de mortalidade é de cerca de 25% entre os 21 casos analisados nos Estados Unidos. Edmond Byrnes, da Universidade Duke, diz que "esse novo fungo é preocupante porque parece ser uma ameaça para pessoas saudáveis".

– Nossa descoberta sugere que pode ocorrer uma expansão para áreas residenciais, o que aumenta o alerta para doenças causadas pelo fungo nessas regiões.

Entre 1999 e 2003, o fungo estava restrito à ilha de Vancouver, no Canadá. Já entre 2003 e 2006, a espécie se alastrou para a região da British Columbia, também no país – no período entre 2005 e 2009 o Cryptococcus gattii apareceu em Washington e no Oregon, nos Estados Unidos. De acordo com os pesquisadores, baseado nessa trajetória, é provável que a espécie apareça no norte da Califórnia.

A exposição ao fungo pode causar sintomas como forte dor no peito, dificuldades respiratórias, dor de cabeça, febre, suores noturnos e perda de peso. Os problemas aparecem em pessoas e animais cerca de duas semanas após o contato. Uma das hipóteses para a migração da espécie é a mudança climática na região.

Assim como outros fungos, o Cryptococcus gattii forma esporos que podem ser dispersos pelo vento ou movidos por meio do solo – pelas solas de sapato, por exemplo. Esses esporos podem ser inalados e causar infecções no pulmão. Os pesquisadores dizem que o risco ainda é baixo para humanos, mas é preciso monitorar a situação. [Fonte: R7]

Pesquisa personalizada