Pesquisa personalizada

O objetivo principal deste blog é chamar a sua atenção para as palavras ditas por Jesus em Mateus capítulos 24 e 25, quando respondeu à pergunta feita por seus discípulos: "... Dize-nos, quando serão estas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? (Cf. Mateus 24:3b)


Pesquisa personalizada

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

E haverá fome...

ONU: NÚMERO DE FAMINTOS NO MUNDO ULTRAPASSA UM BILHÃO

A queda nas doações e o menor investimento na agricultura causaram um aumento no número de famintos no mundo. A crise econômica também contribuiu para que o número de pessoas que passam fome chegasse ao recorde de um bilhão - um sexto da população mundial -, afirmou hoje a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

A menos que haja uma reversão do quadro, a meta internacional de reduzir à metade o número de famintos no mundo até 2015 não será cumprida, advertiu a FAO em relatório. Após avanços no combate à fome nos anos 1980 e 1990, o número de desnutridos voltou a crescer em 1995, chegando a 1,02 bilhão neste ano, sob o efeito combinado das altas nos preços da comida e da crise financeira global, segundo a entidade.

A culpa pela tendência de longo prazo é em grande parte causada pela redução do auxílio e dos investimentos privados em agricultura desde meados dos anos 1980, segundo a agência sediada em Roma. "Na luta contra a fome, o foco deve ser no aumento da produção de alimento", disse Jacques Diouf, diretor-geral da FAO. "É senso comum, a agricultura deve ter prioridade, mas o que ocorreu foi o oposto."

Em 1980, 17% do auxílio doado por países foi para a agricultura. O índice caiu para apenas 3,8% em 2006 e aumentou pouco nos últimos três anos, notou Diouf. A queda pode ter ocorrido pelos baixos preços de alimentos, que desencorajaram o investimento privado na agricultura, e a competição por fundos públicos de outros campos, como o auxílio emergencial, a redução da dívida e o auxílio a instituições e governos, avaliou David Dawe, um economista da FAO.

Agricultura

Os governos e investidores também podem ter agido sob a impressão de que outros setores econômicos precisavam de mais dinheiro, pois a parcela ocupada pela agricultura em alguns países em desenvolvimento caiu, conforme as pessoas mudavam para as cidades, notaram os economistas da agência. Outro economista da FAO, Keith Wiebe, lembrou que há uma ideia de que a agricultura é algo que deve passar a receber menos importância, conforme um país se desenvolve, o que pode resultar em problemas.

O crescimento dos preços em 2007 e 2008 forçou muitas famílias pobres a vender bens e reduzir o número de refeições, além de custos com saúde e educação. Os preços inflacionados causaram distúrbios em vários países do mundo no ano passado. Agora, eles estão mais estáveis, mas ainda altos, especialmente entre os mais pobres, disse Diouf.

Nesse meio tempo, a crise econômica mundial aumentou o desemprego, reduziu as remessas feitas por imigrantes para seus países de origem, além de dificultar o crédito para os mais pobres, disse Diouf.

Trinta países estão pedindo auxílio alimentar emergencial à FAO, entre eles 20 na África. O número de famintos chegou a um sexto da população mundial. A região mais populosa do mundo, a Ásia e o Pacífico, tem o maior número de famintos: 642 milhões. Na África Subsaariana, há 265 milhões de pessoas que passam fome. [Fonte: YahooNotícias]

domingo, 11 de outubro de 2009

Temperatura sobe a 400ºC em região da Jordânia

As autoridades jordanianas investigam a partir de hoje o que motivou um repentino aumento da temperatura para 400ºC em um local próximo a Amã, informaram fontes oficiais.
O fenômeno ocorreu nesta terça-feira em uma área de quase dois mil metros quadrados na província de Balqa, 15 quilômetros ao oeste de Amã, segundo o governador da província, Abdul Khalil Sleimat.
"O fenômeno foi descoberto por acaso quando ovelhas entraram no terreno enquanto estavam pastando", disse o governador.
Sleimat contou que, de acordo com os pastores que cuidavam das ovelhas, os animais "foram completamente queimados e desapareceram".
As autoridades isolaram a área e retiraram os moradores do local, acrescentou o governador.
O Governo jordaniano deixou a investigação do fenômeno a cargo de um painel formado por diversos departamentos e instituições acadêmicas.
O chefe da associação jordaniana de geólogos, Bahjat Adwan, descartou a presença de qualquer atividade sísmica ou vulcânica na área.
O diretor do Conselho de Recursos Naturais da Jordânia, Maher Hijazin, informou que certos materiais orgânicos podem ter se juntado e reagido sob a superfície, gerando o inusitado aumento de temperatura.
Hijazin também destacou que há uma rede de água e esgoto que lança seus resíduos na região. [Fonte: YahooNotícias/EFE]
Nota do Editor:
Talvez isso seja um prenúncio do que está por vir. Confira em Apocalipse 16:8 e 9.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Conferência da ONU alerta que 70% do planeta pode sofrer com seca em 2025

Quase 70% do planeta será afetado pela seca em 2025 se não forem aplicadas políticas para frear este flagelo, advertiu nesta sexta-feira (2/10/2009) em Buenos Aires Luc Gnacadja, secretário da Convenção da ONU de Combate à Desertificação.

"Se não conseguirmos solucionar este problema da Terra, em 2025 quase 70% dela estará muito afetada", destacou Gnacadja, falando em uma conferência.

Jarbas Oliveira - 10.dez.2004/Folha Imagem
Garimpeiro Juraci Barbosa da Cunha, 50, em estrada de área no sul do Piauí que tem um dos maiores índices de desertificação do Brasil
Garimpeiro Juraci Barbosa da Cunha, 50, em estrada de área no sul do Piauí que tem um dos maiores índices de desertificação do Brasil

Atualmente, a seca afeta pelo menos 41% do planeta, e o processo de degradação aumentou entre 15% e 25% desde 1990, segundo um relatório sobre a situação climática mundial apresentado à imprensa durante o encontro.

Gnacadja ressaltou a gravidade do panorama a longo prazo no encerramento da 9ª Conferência das Partes da Convenção da ONU de Combate à Desertificação, que aconteceu entre 22 de setembro e 2 de outubro na capital argentina.

O secretário afirmou ainda que houve um consenso no encontro sobre a necessidade de monitorar e determinar os indicadores para compreender a situação atual em detalhes, o ritmo do avanço da desertificação e maneiras de lutar contra ela.

Além disso, indicou que "não há segurança mundial sem segurança alimentar" nas zonas secas e que "é preciso um acordo verde" por parte dos países desenvolvidos para trabalhar nesses lugares, referindo-se à necessidade de um compromisso político das potências.[Fonte: Folhaonline]

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

E haverá terremotos...

Moradores observam estragos provocados pelo terremoto desta quarta-feira (30) em Padang, na ilha indonésia de Sumatra. (Foto: Reuters)

Uma réplica de 6,8 graus de magnitude na escala Richter sacudiu nesta quarta o oeste da ilha indonésia de Sumatra, menos de 24 horas depois do terremoto de 7,6 graus que causou já mais de 200 mortos.

O epicentro do terremoto foi 225 quilômetros ao sudeste de Padang, a cidade mais afetada pelo tremor da véspera, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que considerou pouco provável a possibilidade de que este tremor gere um tsunami.

Por outra parte, o governo elevou a mais de 200 sua estimativa inicial de vítimas mortais. As primeiros equipes de resgate já estão trabalhando na área afetada, apesar das intensas chuvas, tentando resgatar milhares de pessoas soterradas pelos escombros.

A essas tarefas se poderiam unir em breve enviados especiais da Malásia, Cingapura e vários países europeus, segundo a televisão local. Milhares de moradores de Padang, a 50 km do epicentro, passaram a noite em campos abertos temendo um novo terremoto.

Cerca de 500 casas foram destruídas e importantes infraestruturas como estradas e pontes estão gravemente danificadas. Vários incêndios iniciados após o tremor atingiram quarteirões inteiros da cidade, que permanece sem eletricidade, enquanto ruas e avenidas estão inundadas pela ruptura de encanamentos.

O aeroporto de Padang também foi danificado, as linhas de comunicação seguem mudas e os centros hospitalares estão a beira de um colapso pela quantidade de urgências médicas. [Fonte: Notícias Terra]

Veja mais fotos dos estragos

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Sobe para 770 o número de vítimas de tremor na Indonésia

Governo confirma que cerca de 2.400 pessoas ficaram feridas; novo terremoto atingiu o país nesta quinta-feira (01/10/2009).

Dita Alangkara/AP -Menino observa prédio destruído em Padang

PADANG, Indonésia - O governo da Indonésia elevou para 770 o número de vítimas do terremoto que atingiu o país na quarta-feira, enquanto equipes de resgate continuam as buscas por sobreviventes em meios aos escombros. Oficiais disseram ainda que cerca de 2.400 pessoas ficaram feridas e que o número de mortos deve aumentar, já que milhares ainda estão soterrados.

Veja também:

link Estudo americano pode ajudar na previsão de tremor

mais imagens Galeria: Danos provocados pelo tremor

Nesta manhã, um novo tremor atingiu a região, causando mais danos. O abalo sísmico de 6,8 graus foi aconteceu às 8h52 (22h52 de quarta-feira no horário de Brasília), mas a cerca de 200 quilômetros do epicentro do terremoto da véspera. O terremoto de quarta-feira foi sentido às 17h16 (7h16 em Brasília) e teve origem a 85 quilômetros de profundidade, próximo da cidade de Padang, na costa leste de Sumatra, segundo o Instituto Geológico dos EUA. Vários tremores secundários de mais de 6 graus de magnitude foram sentidos na sequencia e um terremoto de 7 graus, horas depois.

Mais de 500 edifícios, incluindo hotéis, escolas, hospitais e um shopping center ficaram destruídos ou danificados em Padang, onde pelo menos 376 morreram. Acredita-se que milhares de pessoas estejam presas nos escombros. O principal hospital da cidade estava superlotado. Dezenas eram tratadas em barracas armadas do lado de fora do hospital, cuja estrutura ficou parcialmente danificada por causa do tremor.

O número de vítimas pode aumentar nos próximos dias, na medida que as equipes de resgate alcancem cidades mais remotas das ilhas indonésias. A chegada de socorro é lenta por causa da destruição completa e do bloqueio de inúmeras rodovias, além do acúmulo de escombros e dos incêndios simultâneos registrados em diversas regiões do país. A ministra da Saúde indonésia, Siti Fadillah Supari, disse que o número definitivo de vítimas fatais será de "milhares", devido à "magnitude dos danos".

Em Padang e Pariaman, as localidades mais afetadas, milhares de pessoas passaram a noite fora diante do temor de réplicas, seguindo as instruções do governo. As duas cidades amanheceram em meio ao caos e aos escombros, com centenas de construções que desabaram. Os sobreviventes fazem fila durante horas para obter bens básicos, como comida e gasolina. As linhas de telefone e as comunicações pela internet de Padang voltaram a funcionar, mas continuam instáveis.

Apesar da instalação de 11 hospitais de campanha, os centros médicos estão saturados e não conseguem atender as vítimas que não param de chegar, devido à falta de eletricidade, remédios e meios.

Os tremores aconteceram na mesma falha geológica que provocou o tsunami de 2004, que matou 230 mil pessoas em 12 países. Alguns geólogos diziam que Padang é localizada em uma posição perigosa, e que a cidade poderia ser completamente destruída por um terremoto. A província de Sumatra Ocidental é uma zona predominantemente rural, com uma densa floresta. As praias da ilha são populares entre os surfistas. [Fonte: Estadão.com]

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Até pouco tempo atrás não havia tornado em SC...


Temporal com raios em Guaraciaba (SC). Balanço divulgado hoje pela Defesa Civil de Santa Catarina revela que aumentou o número de feridos por conta dos vendavais que atingiram o Estado na madrugada de ontem. Foram registrados 138 feridos, com a morte de quatro pessoas, em 46 municípios catarinenses atingidos pelas fortes chuvas e ventos registrados na madrugada.

A escola Sara Castelhano Kleinkauf, em Guaraciaba, foi destruída com o vento

A Defesa Civil confirmou nesta quarta-feira que um tornado atingiu a cidade de Guaraciaba, em Santa Catarina, e causou destruição e duas mortes na cidade na terça-feira. Segundo a corporação, estima-se que os ventos causados pelo fenômeno chegaram a 200 km/h. A cidade está em estado de calamidade pública

A Polícia Militar (PM) enviou um helicóptero com remédios, água e comida para ajudar os afetados pelo temporal em Guaraciaba. A equipe que chegará ao município vai avaliar ainda a necessidade de mais uma aeronave com ajuda.

Dez mil edificações danificadas
Balanço da Defesa Civil indica que 10.102 edificações foram danificadas pelo temporal que atingiu o Estado na terça-feira. Os danos vão desde casas destelhadas até prédios completamente destruídos pelos ventos.

Em um dos casos, o ginásio da única escola de Guaraciaba teve o telhado arrancado inteiro pelo vento. As paredes do prédio desabaram e atingiram o colégio. A Defesa Civil contabiliza ainda 83003 pessoas afetadas pelos ventos e chuva, 1152 desabrigadas, 5862 desalojadas, 138 feridas e quatro mortas.

Sete cidades estão em situação de emergência: Dionísio Cerqueira, Ipuaçu, Santa Terezinha do Progresso, Schroeder, São Domingos, Vargem Bonita e Vargeão. (Fonte: Terra)

sábado, 25 de julho de 2009

E haverá pestes...


A gripe suína já se disseminou por cerca de 160 países e matou aproximadamente 800 pessoas, mas seu comportamento não mudou, informou nesta sexta-feira (24/07/2009) a Organização Mundial da Saúde (OMS).





"Até o momento não detectamos nenhuma alteração do vírus. O que observamos, no entanto, é uma expansão geográfica pelos países", disse o porta-voz da OMS Gregory Hartl em entrevista coletiva. VacinaHartl afirmou que a primeira vacina contra a doença, popularmente chamada de gripe suína, deve estar pronta nos próximos meses, início do outono no Hemisfério Norte. A OMS prometeu 150 milhões de doses de dois fabricantes para países em desenvolvimento e está negociando com outros produtores mais doses.BrasilA gripe já provocou 34 mortes no Brasil. Boletim do Ministério da Saúde divulgado na noite desta quinta-feira (23) indica 1.566 casos confirmados da doença. O Rio Grande do Sul é o campeão em óbitos, com 16 mortes confirmadas. São Paulo vem logo depois, com 12 mortes. Cinco das vítimas são do Rio de Janeiro e uma do Paraná.O Ministério da Saúde afirma ainda que foram notificados, desde abril, 8.328 casos suspeitos de algum tipo de gripe no país, com 19% dos casos com diagnóstico positivo para a influenza A (H1N1) e outros 6,34% (528 casos) com diagnóstico para a influenza sazonal.AulasOs governos dos Estados com vítimas se reunirão na semana que vem com o Ministério da Saúde. Na pauta, a discussão do possível adiamento do retorno às aulas nas redes pública e particular.


Mais:



sexta-feira, 19 de junho de 2009

E haverá fome...

Um total de 1,020 bilhão de pessoas passarão fome em 2009, o que representa um número recorde, segundo informou hoje a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO).

A FAO, em comunicado emitido em sua sede em Roma disse que se prevê que este ano o número de vítimas da fome aumente 11%.

Para estabelecer estas previsões, a FAO se baseou nas análises do departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Este organismo atribui esse aumento à crise econômica mundial, que originou uma diminuição da renda e um aumento do desemprego, o que ajudou na redução ao acesso aos alimentos por parte dos mais desfavorecidos.

A maior parte da população desnutrida do planeta vive em países em vias de desenvolvimento, informou esta organização.

Na Ásia e no Pacífico calcula-se que cerca de 642 milhões de pessoas sofrem com fome crônica, 265 milhões em África Subsaariana, 53 milhões na América Latina e no Caribe, 42 milhões na África do norte e Oriente Médio e 15 milhões nos países desenvolvidos.

A FAO disse que os pobres que moram em zonas urbanas serão os que terão mais dificuldades para enfrentar à recessão mundial, já que a queda da demanda de exportações e a redução do investimento estrangeiro direto causarão um aumento no desemprego urbano.

No entanto, o órgão informou que as áreas rurais deverão enfrentar o problema que vai representar o retorno de parte dessa população urbana para o campo.

Além disso, a FAO manifestou que os países em desenvolvimento terão uma menor capacidade de manobra nesta crise devido à rápida deterioração do contexto econômico e a que as turbulências afetam todo o mundo de forma mais ou menos simultânea.

Isto limita a capacidade de se recorrer a mecanismos reparadores para se ajustar aos vaivéns macroeconômicos, como a desvalorização da moeda ou empréstimos no mercado internacional de capitais.(Fonte: G1)

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Cientista Prevê Catástrofe Mundial

Cientista britânico prevê "catástrofe" mundial em 2030 com aumento da população

Christine McGourty

Repórter de Ciências da BBC

ONU prevê falta de água e alimentos na África, Europa e Ásia

O aumento da população mundial e das demandas por água, energia e alimentos poderão provocar uma "catástrofe" em 2030, segundo previsões do principal conselheiro científico do governo britânico.

John Beddington descreveu a situação como uma "tempestade perfeita", termo usado quando uma combinação de fatores torna uma tempestade que, por si só, não teria tanto efeito, em algo muito mais poderoso. A analogia também é usada para descrever crises econômicas.

Segundo Beddington, com a população mundial estimada em 8,3 bilhões de pessoas em 2030, a demanda por alimentos e energia deve aumentar em 50%, e por água potável deve aumentar em 30%.

As mudanças climáticas devem piorar ainda mais a situação, vai advertir o cientista nesta quinta-feira, na conferência Desenvolvimento Sustentável RU 09, em Londres.

Complacência

"Não vai haver um colapso total, mas as coisas vão começar a ficar realmente preocupantes se não combatermos esses problemas", afirma Beddington.

Segundo ele, esta crise por recursos vai ser equivalente à atual crise no setor bancário.

"Minha principal preocupação é com o que vai ocorrer internacionalmente, vai haver falta de alimentos e de água", prevê o cientista.

"Nós somos relativamente sortudos no Reino Unido; pode não haver falta, mas podemos esperar um aumento de preço dos alimentos e de energia."

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) prevê falta de água generalizada na África, Ásia e Europa até 2025.

A quantia de água potável disponível por habitante deve diminuir dramaticamente neste período.

Transgênicos

A questão da segurança alimentar e energia chegou a entrar no topo da agenda política no ano passado, durante a alta do preço do petróleo e de commodities.

Segundo Beddington, a preocupação agora que os preços voltaram a cair é de que essas questões saiam da agenda doméstica e internacional.

"Não podemos ser complacentes. Só porque os preços caíram, não significa que podemos relaxar", diz ele.

Melhorar globalmente a produtividade agrícola é uma forma de combater o problema, afirma Beddington.

Atualmente, se perdem entre 30% e 40% de toda a produção, antes da colheita, por causa de pragas e doenças.

"Temos que procurar uma solução. Precisamos de mais plantas resistentes a pragas e doenças, e de melhores práticas agrícolas e de colheita", afirma Beddington.

"Os alimentos transgênicos também podem ser parte da solução. Precisamos de plantas que sejam resistentes à seca e à salinidade - uma mistura de modificações genéticas e cruzamento convencional de plantas."

De acordo com o cientista, também são essenciais melhorias na estocagem de água e fontes de energia mais limpas.

John Beddington está a frente de um subgrupo de um novo departamento do governo criado para combater a segurança alimentar.(Fonte: IASD em Foco)

segunda-feira, 27 de abril de 2009

E haverá pestes...

O Avanço da Gripe Suína no Mundo...

México suspeita possuir 22 vítimas na capital e 110 em todo o país

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está estudando se eleva o nível de alerta pandêmico pela gripe suína do atual nível três para a fase quatro, ou inclusive a cinco (de um total de seis), sugeriu hoje um porta-voz. O nível de alerta atual está na fase 3. A elevação para o nível 4, por exemplo, indicaria um "aumento significante no risco de uma pandemia (epidemia generalizada)".

Saiba os locais em que a doença teria se manifestado:

AMÉRICA DO NORTE

MÉXICO = A Prefeitura da Cidade do México informou hoje que, nas últimas horas, foram registradas mais sete mortes que podem ter sido causadas pelo vírus da gripe suína, o que, se for confirmado, elevaria o número de vítimas na capital para 22 e para 149 em todo o país.

CANADÁ = Canadá confirmou quatro ocorrências de gripe suína, todos elas em estudantes de um colégio na província da Nova Escócia, e com sintomas leves

EUA = Em discurso na Academia Nacional das Ciências, Obama disse que o governo está acompanhando muito de perto a situação sobre a gripe suína, vírus que já foi detectado em 20 pessoas no país

EUROPA

ALEMANHA = Três pessoas, dois homens e uma mulher, foram internadas em um hospital de Bielefeld, no norte da Alemanha, com suspeita de terem contraído a gripe suína.

DINAMARCA = O hospital de Hvidovre, nos arredores de Copenhague, confirmou também hoje a internação de quatro pessoas, e outras duas serão hospitalizadas ao longo do dia. Um dos pacientes é uma mulher que retornou há poucos dias à Dinamarca após realizar uma viagem ao México, epicentro do foco de gripe suína.

FRANÇA = As autoridades sanitárias francesas estão investigando novos casos "suspeitos" de gripe suína de pessoas que viajaram ao sul dos Estados Unidos ou ao México, confirmou hoje o Instituto de Vigilância Sanitária (INVS) francês.

GRÃ-BRETANHA (ESCÓCIA) = Duas pessoas internadas em um hospital da Escócia após voltar de uma viagem ao México estão com gripe suína. Os dois, ambos escoceses, chegaram na terça-feira passada do México, onde foi declarado um grave foco de gripe suína, e se internaram com sintomas de gripe.

SUÉCIA = O Instituto de Doenças Contagiosas da Suécia confirmou que cinco pessoas, das quais pelo menos dois estiveram recentemente no México, foram internadas em centros hospitalares do país.

AMÉRICA DO SUL

BRASIL
= Há um caso suspeito da doença em Minas Gerais. Um casal que voltou de lua de mel em Cancún foi internado e isolado em hospital Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte.

PERU = Um possível caso de uma pessoa infectada pela gripe suína no Peru foi detectado em um voo que chegou a Lima procedente do México, disse hoje o ministro da Saúde peruano, Oscar Ugarte, que afirmou que os resultados dos exames no paciente estarão prontos nas próximas 48 horas.

ÁSIA

ISRAEL = Israel internou e isolou um homem que chegou do México, o segundo suspeito de sofrer de gripe suína, que o Ministério da Saúde israelense pediu para ser chamada de "gripe mexicana".

Confira gráfico com as regiões atingidas

Direto do México, o repórter Marcelo Gonzatto relata como o país está lidando com o surto de gripe suína e as atitudes das autoridade para combater a doença

quinta-feira, 16 de abril de 2009

E haverá terremotos...




Terremoto na Itália matou uma classe inteira de crianças
Algumas crianças foram retiradas com vida
Algumas crianças foram retiradas com vida

Uma classe inteira de crianças de seis anos de idade orreu dentro de uma escola cujo teto desabou durante o terremoto que atingiu o vilarejo de San Giuliano di Puglia, no sul da Itália.

Um correspondente da BBC no local diz que as crianças serem muito novas e não sabiam como se proteger debaixo das mesas. Acredita-se que pelo menos 26 crianças e duas mulheres morreram na tragédia.

As equipes de resgate continuam a retirar corpos dos escombros da escola, quase 24 horas depois do terremoto, mas não há praticamente nenhuma esperança de ainda se encontrar uma criança viva.

Os moradores do vilarejo se perguntam agora porque a escola estava aberta na quinta-feira, enquanto outras estavam fechadas por medo de terremotos, e porque o prédio, recentemente reformado, foi destruído, enquanto outros perto do local não foram.

Sem esperança

As vozes que haviam sido ouvidas entre os escombros da escola se silenciaram, e as equipes de resgate dizem que os equipamentos não detectam mais o calor de corpos humanos.

Familiares que acompanham os trabalhos de resgate durante a noite comemoraram quando alguns sobreviventes foram retirados - incluindo dois garotos encontrados nas primeiras horas do dia.

Mas, depois, as esperanças começaram a diminuir.

"Não há barulho. Não há sinais dos detectores de calor e, agora, infelizmente, há muito pouca esperança", afirmou um dos membros das equipes de resgate, Ernesto Angelotti.

Desespero

A sala de ginástica da escola foi transformada em uma espécie de mortuário, onde os corpos das vítimas foram colocados.

Trabalhadores do serviço social tentam consolar os familiares. Alguns deles passaram a noite no local, gritando e gemendo.

O prédio da escola - o mais atingido no vilarejo - foi contruído quase 50 anos atrás, e um segundo andar concreto foi feito recentemente.

O terremoto atingiu 5,4 pontos na escola Richter.

Os moradores passaram a noite de quarta para quinta-feira nas ruas, enrolados em cobertores, com medo de voltar para suas casas e de novos terremotos.

Emergência

O governo italiano declarou estado de emergência na região, liberando recursos e colocando soldados do Exército para ajudar no trabalho de resgate e recuperação na região de Molise, onde cerca de três mil pessoas perderam suas casas.

Na cidade de Campobasso, as paredes racharam e pedaços dos tetos desabaram, o que fez com que os moradores deixassem suas casas.

O isolamento da região tem atrapalhado os trabalhos de resgate e uma série de outros tremores menores impediu que as equipes usassem equipamentos pesados.

Uma ponte importante foi atingida e uma linha de trem foi fechada depois que um viaduto sofreu estragos. O terremoto também cortou linhas de telefone e eletricidade.

A agência de proteção civil italiana - fundada depois do terremoto de 1980 quando mais de duas mil pessoas morreram - agiu rapidamente.

Especialistas já estavam monitorando a região depois da erupção do Monte Etna na Sicília.

Um terremoto também atingiu o Monte Etna na quinta-feira, atingindo 3,7 pontos na escala Richter. Acredita-se que não haja conexão entre os dois terremotos. (Fonte: BBC Brasil)

Pesquisa personalizada